Alimentação Consciente – a chave para a saúde e vitalidade

Por Patwant Kaur

Photo: Camila Muradas

A alimentação consciente é o segredo para manter uma vida saudável e equilibrada. Ela contribui para diminuir a densidade do corpo, aumenta a conexão na meditação e traz vitalidade para o ser. Comer de forma consciente amplia o contato com os alimentos e a absorção dos nutrientes que o corpo necessita. A mudança e o aprimoramento de hábitos alimentares ajudam a pessoa deixar de comer por motivos emocionais ou por distração. Esse aprendizado muda o entendimento das sensações do corpo em relação à comida e nos ensina como tirar maior proveito do ato de comer.

A saúde é o bem mais precioso do ser humano. Se a pessoa não se alimenta bem, fica difícil buscar equilíbrio físico, mental e espiritual. O corpo humano funciona como uma máquina. Se o combustível destinado a ela não for de boa qualidade, consequentemente o desempenho não será bom. A ausência de saúde impede a pessoa de desfrutar dos prazeres da existência e de ter uma vida feliz.

Pesquisas mostram que nas últimas décadas houve uma grande mudança nos hábitos alimentares da população mundial. As pessoas estão ingerindo mais sal, açúcar e conservantes e esse consumo está promovendo o surgimento de alergias e intolerâncias que são tratadas com novos medicamentos. Esse ciclo ruim impede a pessoa de buscar saúde e cura pelos alimentos.

Muitos seguem dietas, modismos e  negligenciam a procedência dos alimentos e o seu valor nutricional. Quanto mais artificial e densa for a alimentação, mais difícil será o seu processamento. Se estamos raivosos, reativos e agitados é importante observar se se o nosso fígado não está sendo sobrecarregado. O fígado é o órgão responsável por metabolizar as toxinas e filtrar tudo de ruim que cai na corrente sanguínea.

O número de pessoas que se alimenta de forma não consciente ainda é grande, mas, já existe um movimento contrário e consistente em busca de novos hábitos. Pessoas que estão à procura de um resgate dos hábitos de seus avós. Elas já estão despertas para a necessidade de uma alimentação mais natural e com menos agrotóxicos e conservantes. Possuem uma compreensão de que o sentimento e a procedência do alimento influenciam no processo de absorção final pelo organismo.

Este discurso pode parecer utópico para a realidade de muitos, pois o ritmo e o estilo acelerado de vida dificultam o processo. Mudar os hábitos alimentares adquiridos desde a infância também pode ser complicado. Mas vejo esse aprendizado como necessário para que o ser humano consiga viver uma vida mais saudável.Essa mudança de hábitos pode ser praticada de forma gradativa e realista dentro das possibilidades de cada um e sem radicalismos. Que tal se tornar um voluntário e experimentar os benefícios em seu próprio corpo?

Hits: 88

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: