Entrevista – Kundalini Yoga e a medicina convencional juntas para tratar doenças

Por Patwant Kaur

Photo: Camila Muradas

O médico radiologista e professor de Kundalini Ioga, Rodrigo Yacubian, desenvolve um trabalho multidisciplinar no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, aplicando a medicina convencional à prática do ioga.

Nessa entrevista, ele fala da importância do ioga para a busca do equilíbrio físico, mental e espiritual e como essa ciência pode ser útil no tratamento de várias doenças.

Segue abaixo, uma breve explicação técnica dos padrões da mente humana sob a abordagem do Kundalini Yoga para facilitar o entendimento das questões a seguir.

*Mente positiva: mente que encoraja, impulsiona; *Mente Negativa: mente protetora que impede o indivíduo de agir pela impulsividade; *Mente Neutra: mente meditativa, mente silenciosa, que traz presença, ajuda a pessoa acessar a intuição e permite a comunicação a partir do coração e não pelo ego.

1- Como a prática do ioga pode ser conciliada à medicina tradicional para o tratamento de doenças?

Todas as modalidades de ioga de uma maneira geral são positivas para trazer saúde física, mental e espiritual. Elas ajudam o indivíduo a voltar para si, fazer a investigação da própria vida, expandir a consciência e buscar equilíbrio que pode gerar cura.

O Kundalini Yoga, que é o ioga que eu pratico e ensino, chegou ao ocidente no fim da década de 60. É uma prática potente com resultados relativamente rápidos. Ela integra posturas, respirações e meditações.

É uma técnica que dá forças para a pessoa encontrar seu centro e viver de forma plena. Esse ioga aplicado como terapia complementar aos tratamentos alopáticos convencionais, tem apresentado bons resultados. As práticas acalmam, relaxam e consequentemente melhoram o equilíbrio geral do praticante, incluindo os sistemas imunológico e neuro-hormonal.

2- Existem pesquisas no Brasil sobre os benefícios da prática meditativa?

Sim, existem pesquisas sobre meditação no Brasil. Nós, do Kundalini Yoga, estamos desenvolvendo um trabalho que aborda práticas voltadas para o tratamento do Transtorno Obsessivo Compulsivo.

As pesquisas sobre meditação apontam resultados positivos e aqueles que praticam de forma disciplinada e diária conhecem os benefícios que são vários: amplia a percepção da realidade; promove bem-estar, paz interior, calma e estabilidade; desenvolve a intuição; aumenta a clareza mental; traz foco, presença; elimina o estresse; libera medos e bloqueios.

3- Como o ioga e a meditação podem reduzir o estresse e a ansiedade?

O Kundalini Yoga e as meditações dessa prática são muito eficazes na redução da ansiedade e do estresse. Essa Tradição ajuda o indivíduo a alcançar um estado meditativo com maior facilidade, rapidez e atingir a neutralidade da mente. *A mente neutra auxilia a pessoa por alguns instantes a entrar em contato com um nível elevado de consciência. Esse estado reduz sintomas de depressão que, na maioria das vezes, está relacionada ao passado e as experiências que a pessoa já viveu. Ele também reduz o estresse quando existe uma antecipação de problemas futuros.

A pessoa que é ansiosa geralmente está projetando a mente no futuro, muitas vezes ela está fantasiando coisas que não vão acontecer. Isso gera ansiedade, gera estresse. As meditações trazem a mente para o centro, para a neutralidade. *A mente neutra não se projeta no passado e nem no futuro. Esse estado mental é muito favorável para a redução do estresse, ansiedade e dos sintomas depressivos.

4-Como o Kundalini Yoga pode auxiliar pessoas que possuem quadros de transtorno de ansiedade generalizada, síndrome do pânico e insônia?

O Kundalini Yoga é uma ferramenta poderosa para ajudar as pessoas com esses distúrbios. O biólogo americano David Shanahoff aborda técnicas específicas de respiração para o tratamento de transtornos de ansiedade generalizada, pânico e insônia. Ele estuda o assunto por mais de 30 anos. Existem protocolos que podem ser usados em diferentes contextos e quadros clínicos.

Aqui no Brasil eu represento o trabalho do David. Venho aplicando esses procedimentos em pacientes com bons resultados. Quando a pessoa se compromete com a prática e os tratamentos propostos, os resultados são surpreendentes. Pode acontecer inclusive a remissão completa da doença.

Nos transtornos do sono, por exemplo, é possível por meio desses artifícios induzi-lo e aumentar sua qualidade. Já os casos de síndrome do pânico e de ansiedade generalizada, os pacientes conseguem também melhorar de forma significativa a sua qualidade de vida.

5 – A prática de Kundalini Yoga pode ajudar as pessoas que usam remédios controlados e querem reduzir ou parar com a medicação?

É muito comum que a pessoa se sinta bem com a prática de Kundalini Yoga e queira reduzir ou retirar os remédios. Mas cada caso é um caso e alguns pacientes precisam da medicação por determinado tempo. O professor de Kundalini Yoga deve ser ético e não deve sugerir que ele mexa no tratamento, sem antes consultar o médico, geralmente um psiquiatra.

Às vezes é possível diminuir a dosagem ou até interromper, mas para que isto aconteça deve haver uma análise prévia da situação e consenso entre os profissionais envolvidos. Nesse caso, o médico psiquiatra e o professor de Kundalini devem trabalhar juntos. A decisão sobre a medicação deve ser tomada em conjunto e com o comprometimento do paciente.

6- É possível melhorar a qualidade de vida dos portadores de HIV, câncer, doenças autoimunes e os dependentes químicos, ou até mesmo curá-los, com a prática de Kundalini Yoga?

 Yogi Bhajan (mestre que trouxe o Kundalini Yoga para o ocidente) enfatizava a importância da utilização das técnicas da mente e do corpo para reduzir a ansiedade e aumentar a atividade do sistema imunológico. As pessoas portadoras de doenças autoimunes precisam manter esse sistema ativo. Os remédios e as práticas meditativas para acessar a mente*(neutra) são grandes aliados nesses tratamentos.

Os portadores de HIV podem e devem usar técnicas de redução da ansiedade. O ioga e a meditação, conciliados aos remédios alopáticos, asseguram melhor qualidade de vida ao paciente.

Nos casos de câncer, o estresse, a ansiedade e a depressão estão ligados ao sistema imune e isto interfere nas etapas da doença. Quando a pessoa recebe o diagnóstico do médico, geralmente acontece um choque que é traumático para ela e seus familiares. Primeiro surge à aceitação da doença que não é simples. Em seguida, aparecem as questões existenciais e como a pessoa lida com a própria vida. Por último, ainda existe o enfrentamento dos tratamentos cirúrgicos, radioterapia e quimioterapia.

O paciente deve ficar ciente do seu estado clínico, buscar o que há disponível na medicina alopática e incluir as terapias complementares ao tratamento. Os protocolos ajudam a diminuir os pensamentos depressivos, o medo do tratamento e da morte. O trabalho multidisciplinar é indicado, pois ele oferece boas condições para o enfrentamento da doença e conforto ao paciente.

Sobre a dependência química, é importante dizer que o Kundalini Yoga é conhecido como o ioga da consciência. O objetivo dessa prática é elevar a consciência de forma saudável, sem o uso de substâncias ilícitas e exógenas. Ela pode ser usada de forma preventiva contra os vícios e para fins de tratamento.

Existem práticas específicas de Kundalini Ioga e programas como o Super Healph, orientado pela professora Mukta Kaur Khalsa, que oferece protocolos de respiração. David Shannahoff-Khalsa também propõe protocolo voltados para desintoxicação de dependentes químicos. Aulas de Kundalini Yoga que também são grandes aliadas para este propósito.

As pessoas interessadas em conhecer um pouco mais sobre os programas mencionados nessa entrevista podem acessar os links abaixo para mais informações.

 Links úteis:

 www.kyogamed.com

http://sacredtherapies.com/

http://www.super-health.net/

Nota da Autora: a palavra Ioga em português é grafada com a letra “i”. O nome da prática disseminada por Yogi Bhajan é sempre escrita em letra maiúscula e com “Y”.

 

 

 

Hits: 391

Deixe uma resposta