Dia Internacional do Yoga é comemorado no Brasil com conquistas para saúde da população.

Para celebrar o Dia Internacional do Yoga a Câmara dos Deputados realizou uma sessão solene para tratar da importância desse conhecimento milenar para a saúde da população e comemorar a inclusão de outras terapias integrativas no cronograma de atividades do Sistema Único de Saúde o SUS.

Marcaram presença no evento estudiosos e especialistas na área da saúde  Dr José Ruget, médico e presidente do Movimento Mundial de Ayurveda, Swami Nirmalatmanda do Movimento Ramkrishna Vedanta, a psicóloga e doutora em psicologia transpessoal, Susan Andrews e a professora de Vedanta e Sanscrito Gloria Arieira. A sessão foi presidida pela deputada Érika Kokay do PT – DF

Atualmente vinte e nove terapias complementares já estão disponíveis no SUS para os brasileiros, incluindo o Yoga e Ayurveda. De acordo com o Ministério da Saúde, no ano passado, essas terapias estiveram presentes em quase dez mil estabelecimentos espalhados em três mil municípios. Cerca de cinco milhões de pessoas já foram beneficiadas e 35 mil sessões de yoga foram realizadas.

A resolução 69/131 da ONU que cria o Dia Internacional do Yoga reconhece que a saúde global é um objetivo a ser desenvolvido em longo prazo e requer cooperação por meio de práticas que visem a construção de um melhor estilo de vida.

O Dr José Ruget Júnior, representante da medicina ayurveda no evento explica que esta ciência é irmã do yoga. “Enquanto o yoga foca no processo de expansão da consciência por meio de práticas corporais, o ayurveda foca na promoção da saúde”.  Segundo ele, a inclusão do ayurveda entre as terapias do SUS representa um ganho para a população “ A ayurveda não cuida apenas das doenças orgânicas, mas também dos aspectos mentais e dos conflitos da vida. Ela atua na prevenção e na promoção da saúde”, disse.

A medicina convencional segundo Dr Ruget foca muito no tratamento final da doença. “Existe um crescimento de doenças crônicas no Brasil e no mundo. Elas são caras e difíceis de tratar. Se nós focarmos no tratamento preventivo, na alimentação e num estilo de vida mais saudável, consequentemente os resultados serão positivos”, explica.

Para contextualizar o leitor, a medicina ayurveda é a mais antiga do mundo. Ela é o meio de tratamento mais utilizado pelos indianos e possui uma abordagem diferente da medicina convencional para tratar o corpo humano e as doenças. No Brasil já existem escolas e profissionais que podem executar atendimentos. Para mais informações acesse: https://www.suddha.net/

A Dra Suzan Andrews, médica formada pela Universidade de Harvard, atualmente faz parte de um grupo de pesquisas na Universidade de São Paulo – USP, voltadas para a inclusão das práticas integrativas de saúde e para o gerenciamento do estresse.

Segundo ela, o estresse é o maior vilão causador de doenças e os próprios médicos e profissionais de saúde precisam regular os níveis dele para tratar seus pacientes. “ Os nossos curadores precisam resgatar o seu senso de missão para proporcionar cura aos pacientes e a sociedade”, afirma. Para saber mais informações sobre o trabalho da Dra Suzan acesse: www.visaoofuturo.org.br

Leia este e outros assuntos relacionados ao tema em português e inglês em  www.suni-ai.com.

Texto: Patwant Kaur

Foto: Camila Muradas.

 

Hits: 433

Deixe uma resposta